segunda-feira, 19 de agosto de 2013

SEM RODEIOS | Rubrica do blogue


Todos temos sonhos, todos olhamos para algo e pensamos que gostaríamos de estar naquele lugar e naquele exato momento. É verdade que muitos tentam concretizar os seus sonhos, e não obtém recompensa. Eu sei disso, eu sei que muitos se iludem e depois vêm os seus sonhos desmoronarem-se de dia para dia. Mas eu não tenho medo de arriscar, não tenho medo de tentar ser aquilo que eu realmente gostaria de ser. Porque um dia pode ser tarde demais, porque um dia não quero olhar para trás e pensar que não vivi o suficiente. Porque sempre que me vou abaixo há algo que me puxa para cima novamente, algo que eu não sei explicar, mas está dentro de mim. Algo que me diz que eu devo continuar, que por mais razões que eu tenha para desistir, se é aquilo que eu realmente vejo no futuro é aquilo que eu devo seguir sem baixar os braços. Dizem que sou forte, que por mais problemas que tenho supero tudo. Às vezes chego a pensar que não é bem assim. Porque eu choro, eu adormeço a pensar nas coisas boas, mas as piores coisas vencem sempre no meu pensamento. Eu já passei longas noites a escrever mentalmente aquilo que não devia, já me achei a pior pessoa do mundo, já olhei para cima para as lágrimas não caírem à frente das pessoas que acabaram por me desiludir, já fiz trinta por uma linha por ter muitos complexos daquilo que sou, porque eu penso sempre que as outras pessoas são mais felizes do que eu. Mas uma coisa é mais que certa, eu já sofri o suficiente para dar valor a pequenas coisas da vida. E tenho consciência que ainda vou sofrer mais ao longo da vida, e que vou aprender mais ainda a dar valor a outras pequenas coisas. Tenho consciência que eu ainda vou ser muito feliz, vou olhar para o passado e vou reconfortar as memórias com o presente. E sabem aquilo que realmente me dá força? É encher o coração com palavras amigas, é olhar todos os dias para o horizonte e sentir que eu sou capaz, que eu ainda vou dar provas a mim mesma sobre aquilo que eu consigo fazer. É ouvir uma música com grandes verdades, é sorrir para o mundo, mesmo que este esteja cheio de injustiças. Todos os dias acredito, e todos os dias desacredito. Todos os dias tenho momentos excelentes, e todos os dias tenho momentos menos bons. Algo que eu aprendi desde o início, é que se for bom, tornar-se-à uma boa recordação. Se for mau, tornar-se-à uma experiência, e é com experiências que aprendemos a escolher o nosso caminho. 

4 comentários:

Podes sempre contar comigo.